16/06/2012

Um norte-americano chamado Bruce Campbell é tão fã de aviões que decidiu morar dentro de um. Ele comprou um Boeing 727-200 por US$ 100 mil, e colocou a carcaça no meio de uma mata no estado de Oregon, EUA.
Além da compra do objeto, também precisou pagar US$ 17 mil pelo transporte desde um aeroporto até o seu destino final. O aluguel do espaço onde a máquina está custou outros US$ 20 mil, e ainda foi preciso mais US$ 21.600 para retirar as asas e a cauda e, assim, permitir a sua transferência pelas rodovias americanas.
O curioso é que, depois de tanta grana dispendida no projeto, Campbell resolveu não fazer uma decoração muito elaborada da sua nova "casa". Ele usa o cockpit como sala de leitura e instalou uma tela de computador bem no meio do painel de instrumentos. O compartimento de cargas virou depósito e as asas servem como um delicioso deck para observar a paisagem. Até mesmo o tanque de água original serve como caixa d'água da moradia.

Fonte: http://ultradownloads.com.br/noticia/Homem-monta-sua-casa-dentro-da-carcaca-de-um-Boeing-727-200/#ixzz1y3zZ1n9X

Não da para acreditar

Erika descobriu que o marido era gay depois de 17 anos juntos. Em vez de se separar, o casal optou por continuar junto e ainda convidar Gotthard para morar com eles em Wunstorf, perto de Hanover.
Quando o marido revelou que era gay, Erika disse que não ficou chocada, mas de certa forma aliviada. Segundo ela, o marido sofria de depressão e tinha dificuldades para se abrir com ela.
Apesar de continuar a amar a mulher, Ewald dorme com Gotthard na casa.
Erika diz aceitar a opção do marido. "Eu não quero perdê-lo. Ele é confiável e sensível", disse.

03/06/2012

Veterano de guerra é demitido por restaurante por causa de tatuagem


O veterano de guerra americano Kyle Reed disse que foi demitido por um restaurante da rede "Red Lobster" em Jacksonville, no estado da Flórida (EUA), por causa de uma tatuagem com a inscrição "Devil Dog" (cão do diabo) no braço, segundo o canal de TV "First Coast News".

Reed disse que foi informado depois de ser contratado que as tatuagens visíveis não eram permitidas. Ele destacou que o gerente do restaurante nunca lhe disse, durante o processo de contratação, que as normas internas não permitiam aos funcionários ter tatuagens.
O ex-militar disse que a polêmica começou depois que ele arregaçou as mangas para trabalhar. Quando o gerente notou a tatuagem, Reed acabou afastado. Porém ele alega que sua tatuagem não o impediria de trabalhar na cozinha do restaurante.






Americano pede para cão policial depor em sua defesa em tribunal

Acusado de infração de trânsito no condado de Charlotte, na Flórida (EUA), o americano Rodney McGee provocou espanto durante uma audiência ao "intimar" um cão policial para depor como sua testemunha de defesa, segundo o jornal "Orlando Sentinel".

No entanto, durante o julgamento no mês passado, ele mesmo olhou espantado quando o cachorro foi levado diante do juiz.
McGee havia sido parado por um policial em fevereiro após o agente suspeitar que ele tinha drogas no carro. Ele acabou indiciado por não ter sinalizado quando ia fazer uma conversação com o carro.






Carona

Em janeiro de 2011, um cubano foi fotografado carregando um carneiro em uma moto em uma estrada em Havana, capital do país. (Foto: Franklin Reyes/AP)

Torcida do Grêmio exibe faixa de Judas para R10

A torcida do Grêmio reprova Ronaldinho porque, em duas oportunidades, o meia teria traído o seu clube de origem. Em 2001, rumou ao PSG, da França, em uma polêmica transação que foi parar na Fifa. O Grêmio exigia o pagamento da milionária multa, mas os franceses diziam se apoiar na extinção da Lei do Passe para não pagar nada aos gaúchos. No ano passado, Ronaldinho esteve para voltar ao Olímpico. O seu irmão e empresário, Roberto Assis, inclusive falou por várias veses que R10 estaria perto do retorno. Acabou, no entanto, acertando com o Flamengo.




Se beber deixe o cão dirigir

Em março de 2012, uma mulher foi flagrada empurrando seu carro em um bairro de Roma, na Itália, enquanto seu cão de estimação aguardava dentro do veículo, no banco do motorista, como se estivesse 'dirigindo'. (Foto: Alessandro Bianchi/Reuters)